Curso de maquiagem


Por ter me excedido um pouco nas comprinhas que fiz numa loja de cosméticos, ganhei de brinde um curso de maquiagem. O curso era apenas uma aula que seria dada na loja mesmo, depois do horário de funcionamento do comércio.

Cheguei uns quinze minutos mais cedo, como me foi aconselhado. Enquanto esperava, fiquei observando aquelas que seriam minhas colegas durante uma noite. Nossa turma seria bem diversificada, desde uma adolescente com visual punk até uma senhora distinta com, mais ou menos, uns sessenta anos de idade. Um clube da Luluzinha composto por doze mulheres ansiosas por conhecerem alguns segredos do universo da beleza.

As atendentes da loja ministrariam o curso. Elas nos levaram a uma sala onde havia diversas cadeiras e mesinhas, encima destas, espelhos e chumaços de algodão. Eu pensei que seria uma aula teórica para ensinar várias técnicas. Mas, pelo visto, era pior: eu teria que me maquiar na frente de todas. O primeiro passo era vencer a timidez.

Eu estava ali por dois motivos: aliviar o peso da consciência por ter comprado mais cosméticos do que havia planejado e tentar descobrir um fim prático para os que eu tinha em casa. Porém, eu já começava a pensar se, realmente, valeria a pena dedicar a noite de sexta-feira àquele curso.

No começo, foram explicados alguns cuidados básicos que se deve ter com a pele. Depois, nos ofereceram vários produtos e pediram nos maquiássemos de acordo as instruções que eram dadas. Eu acompanhei tudo, na medida da minha inexperiência e do meu nervosismo.

Conforme as alunas iam se “soltando”, perguntas como, “O que eu faço pra disfarçar minhas olheiras?”, “Como eu evito que o lápis borre?”, “Qual é o melhor truque para afinar o rosto”, dominaram o ambiente.

Uma das moças que davam o curso pediu para fazer uma maquiagem de demonstração nos meus olhos. Mal havia consentido, ela já estava com o lápis preto em punho esfregando-o na parte inferior dos meus olhos. Eu piscava desesperadamente. Ela disse que eu não precisar temer, pois não iria me machucar. Eu não sentia medo e sim, aflição. É difícil não piscar enquanto alguém mexe no seu olho. Mais uma provação pela qual o sexo feminino passa.

Maquiagem pronta, defeitos disfarçados, cores dos olhos e da boca bem vívidas. Eu mal reconheci a pessoa que vi no espelho.

Imagem: Creative Commons/Flickr: ferax

btemplates

6 comentários:

Ferbs Sousa disse...

aaah quanto tempo não passava no seu blog, sempre com um post mara :D
eu mudei de blog agora...
sempre mudando OSIAOSIA

Daniela Fonseca disse...

Muito obrigada, Ferbs Sousa. Será sempre bem-vinda.

Ana Azevedo disse...

Oi Dani!
AMEEEEEEEEEEEEI teu cantinho,muito lindo...já estou seguindo!
Ai,eu queria tanto aprender a maquiar bem...AMO MAKES,aliás,qual mulher não gosta né...mas,tento fazer alguns looks em casa,do meu jeito e às vezes fica bem bacana!
Adorei te conhecer através do Twitter e saber que é blogueira,assim como eu...BEM VINDA AO MUNDO BLOGUÍSTICO!!!
Quando quiser,passa lá no meu blog:
http://aninha-azevedo.blogspot.com

Bj,bj,bj...
Ana Azevedo
Porto Alegre/RS

Daniela Fonseca disse...

Muito obrigada, Ana Azevedo. A maquiagem é uma arte que eu também estou tentando aprender. Visitei seu blog e adorei. Seja bem-vinda!

Catia Freitas disse...

Oi Dani, Adorei..
Uma vez fiz um curso aqui em Bh. Acabei sendo uma das modelos, é horrivel, você nem sabe o que estão fazendo no seu rosto. Mas eu adorei o curso e sempre que tiver vou fazer mais. É ótimo pra atualizar e tirar qualquer dúvida, né...
Bjos!!!

Daniela Fonseca disse...

Muito obrigada, Catia Freitas. Realmente, sempre tem algum truque novo de maquiagem pra gente aprender.

Postar um comentário

 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...